Start content

Biblioteca paulistana é recheada de acessibilidade e foi finalista em concurso internacional

por Marina Yonashiro

Descrição da imagem: Foto colorida do edifício da Biblioteca de São Paulo. Os terraços do pavimento superior, voltados para as fachadas leste e oeste, e que recebem uma maior insolação, são cobertos por pérgulas fabricadas com vigas laminadas de eucalipto. As outras fachadas são compostas por placas de concreto pré-moldadas com acabamento texturizado. Em frente do edifício, há uma calçada larga e 3 blocos grandes com as letras B, S e P. Além disso é possível ver a grama e árvores. Fim da descrição.

Crédito: Márcia Alves

O Brasil é um país riquíssimo em cultura: temos danças, músicas, comidas, festas... mas uma faceta que poucos conhecem sobre os brasileiros é sua fome por livros.

Em uma pesquisa internacional promovida pela GfK e divulgada em 2017, 53% dos brasileiros leem pelo menos uma vez por semana. Confira os dados completos da pesquisa.

Na capital paulista, existem grandes bibliotecas públicas cheias de cultura. Uma delas, inclusive, destacou-se por disputar um prêmio internacional. A Biblioteca de São Paulo foi uma das finalistas do London Book Fair International Excellence Awards 2018 na categoria de Biblioteca do Ano.

Descrição da imagem: Foto colorida do interior da Biblioteca de São Paulo. A foto é um corte de dois andares. O andar abaixo possui várias estantes de livros, mesas com computadores e espaços fechados com pufes coloridos para leitura. O andar acima possui estantes de livros e mesas para estudar. Há 6 aviões de papel gigantes pendurados no teto. Fim da descrição.

Crédito: Equipe SP Leituras

A biblioteca fica no Parque da Juventude e possui um acervo de 43 mil títulos, incluindo livros, jogos, brinquedos, revistas e jornais. O local também é uma referência em termos de acessibilidade, pois é equipada com produtos com selo de qualidade Tecassistiva!

Encontram-se lá uma linha braille Focus Blue 40 (para pessoas cegas); leitor autônomo Sara CE (equivalente ao Ace – para pessoas cegas e com baixa visão); ampliador de textos impressos Topaz XLHD (equivalente ao Clearview – para baixa visão); máquina fusora Teca-Fuser (para pessoas cegas); folheador eletrônico Readable (para mobilidade reduzida); mouse estacionário Marble (para mobilidade reduzida).

A escolha dos produtos seguiu um projeto elaborado pela Teca, pensando em oferecer um ambiente totalmente acessível para a leitura e o acesso à informação. Esse modelo foi utilizado em outros locais como nas Fábricas de Cultura de São Paulo.

Descrição da imagem: Foto colorida de uma garota usando um ampliador de mesa, lendo um livro ampliado na tela em frente dela. Ela está numa sala com vários equipamentos de acessibilidade com 2 colegas. Fim da descrição.

Crédito: Equipe SP Leituras

Este ano, o troféu ficou com a Biblioteca Nacional da Letônia, mas fica nossos sinceros parabéns a essa biblioteca paulistana que representou tão bem nosso país em um concurso internacional muito respeitado. Temos certeza de que haverá outras oportunidades para ganhar prêmios como esse!